São Ivo – Padroeiro dos Advogados

Lisboa, 23 de Maio de 2014,

Gostava de vos contar a história de um dos meus alunos: chamava-se Ivo e nasceu a 17 de Outubro de 1253 numa família de nobres em Kermatin, uma das zonas com maior tradição religiosa da altura, oferecendo-lhe uma educação muito rica, como tive o privilégio de ver.

Em 1267, depois de ter sido sagrado cavaleiro e de viajar para Paris com o seu mestre Jean de Kergoz conheci-o e fui seu professor, juntamente com os meus colegas São Boaventura e Duns Scot.

Lembro-me de chegar à sala e, enquanto lecionava, via, ora o Ivo empenhado a tirar apontamentos, ora a olhar atentamente para mim e a querer absorver tudo aquilo que ia dizendo. Era um modelo de aluno. E para além de modelo de aluno, era também um modelo de colega: quando algum dos outros não percebia a matéria, o Ivo olhava pelos seus colegas, procurava explicar-lhes aquilo que tinha aprendido.

Mais tarde, tive a oportunidade de ver que era um modelo de advogado também. Deixou-nos o Decálogo do Advogado, ensinando que, nós, advogados, antes de resolver qualquer caso, devemos pedir a ajuda de Deus porque Deus é o primeiro a querer proteger a Justiça de cada um de nós.

Alertou-nos para que nenhum de nós aceite a defesa de casos injustos, nem a usar meios ilícitos nos patrocínios que nos são confiados e ensinou-nos a ponderar adequadamente o valor que pedimos pelos serviços que prestamos.

Ensinou-nos a tratar de cada caso como se fosse o nosso caso, como se cada um fosse o réu e até dizia de uma forma engraçada que devíamos amar a Justiça como as meninas dos nossos olhos.

Recordava-nos, também, que nenhum advogado deve poupar trabalho ou tempo para conseguir obter a vitória do caso que lhe tenha sido encarregado e confiado. Por isso, nenhum advogado deve aceitar mais causas do que o tempo disponível lhe permite.

Foi ainda o primeiro criador da Ordem dos Advogados não tendo esta sido criada com o objetivo de proteger, amparar ou ajudar os próprios advogados, mas para assistir os pobres, viúvas, órfãos e estudantes sem recursos.

Enfim, é esta a memória que guardo do Santo Ivo de procurar assistir “ todo e qualquer necessitado de justiça”, ensinando-nos que um advogado é uma pessoa empenhada no direito, que orienta e patrocina aqueles que têm direitos ou interesses a defender em juízo.

São Tomás de Aquino

Texto fictício elaborado por Sofia Branco, com base no livro: “Santo Ivo Patrono dos Homens da Justiça”, de Artur de Castro Borges.

Santo Ivo nasceu a 17 de Outubro de 1253 e faleceu a 19 de Maio de 1303. Foi discípulo de São Tomás de Aquino, São Boaventura e Duns Scot, sendo considerado na atualidade o Patrono dos Homens da Justiça.