Novos Caminhos

A SB Advogados foi trilhar novos caminhos.

No âmbito de uma  prospeção de outros mercados, nomeadamente países dos PALOP, realizou-se uma curta visita à Ilha de S. Vicente, à cidade do Mindelo, no mês de Janeiro deste ano de 2014.

Com o objetivo simultâneo de auxiliar a preparação de uma missão de Verão, a realizar por um grupo de cerca de 30 pessoas de Lisboa, aproveitou-se a viagem para outros fins.

Por sugestão do Bispo de S. Vicente, o grupo deveria trabalhar no Mindelo e na Ilha de S. Antão pelo que também se foi visitar esta ilha.

Tomou-se conhecimento da realidade local, visitou-se o Centro Cultural do Mindelo, onde estava em exibição uma exposição da fotógrafa, Juliette Brinkmann. Foi-se até à Baía das Gatas, visitou-se o ponto mais alto da Ilha, conviveu-se com os locais e com os responsáveis de algumas instituições.

Antes de partir realizou-se um contacto com a Câmara de Comércio Portugal Cabo Verde que informou que a economia se encontra em receção com uma taxa de inflação de 21% e uma taxa de crescimento de 1,5%. Segundo a opinião do vice presidente executivo do Conselho Diretivo da Câmara de Comércio e Turismo Portugal Cabo Verde, Dr. João Chantre, há na função pública, falta de disciplina, de autoridade e de sentido de hierarquia.

E quem pretenda investir deverá apostar nas áreas do Turismo, dos Transportes e da Logística, da Saúde, Formação Profissional e Educação. Ao nível das novas tecnologias e ainda face à informação prestada pelo vice presidente executivo do Conselho Diretivo da Câmara de Comércio e Turismo Portugal Cabo Verde, Dr. João Chantre, o acesso à Internet funciona bem existindo um núcleo de desenvolvimento para a área digital.

Os países como Portugal, Brasil e Luxemburgo atuam muito na área da cooperação. O Japão e a China dão apoio em relação ao fornecimento de água, tendo construído uma barragem. O Japão é o maior investidor a fundo perdido.

Os transportes marítimos não funcionam bem, pois não existem barcos em número suficiente.

Numa visita de reconhecimento à Ilha de S. Antão, cuja viagem de barco leva cerca de 1hora, constatou-se que uma vez chegados à ilha tem de se apanhar outro transporte que nos leva até à cidade mais próxima, durando a viagem cerca de 1 hora. A beleza natural compensa as duas horas de viagem, tendo-se constatado existir alguma atividade económica nesta Ilha, bem como escolas, hospital e uma pastelaria designada Morabez, que é um negócio de um Português.

Termina-se com uma constatação, a de que os habitantes da Ilha de S. Vicente sofreram influências mais europeias de que os habitantes da Ilhe de Santiago que se mantêm mais africanos nos seus costumes e forma de viver.

A viagem realizou-se de 21 a 25 de Janeiro de 2014. A foto é um testemunho do local visitado.